Em crise nos estudos: 10 dicas para sobreviver ao TCC

Standard

Minha banca do mestrado está se aproximando, e… Bem, com isso, vem batendo um certo medinho! hahaha

Assim, procurando me acalmar, resolvi sentar e pensar nas coisas que possivelmente me ajudaram a sobreviver as bancas da graduação e especialização que passei. Vamos lá:

1- Conhecer a banca examinadora: quem são eles? Qual é a linha de pesquisa e área de interesse de cada um?

Procure saber um pouco mais sobre os membros da banca. Quem vai estar te avaliando?

Procure saber um pouco mais sobre os membros da banca. Quem vai estar te avaliando? Qual é a linha de pesquisa que cada um deles segue?

2 – Saber os prazos e datas de entrega e, principalmente, cumpri-los!

Não deixe para terminar tudo em cima da hora. Sério.

Não deixe para terminar tudo em cima da hora. Sério, eu falo isso por experiência (negativa) própria.

3 – Faça uma leitura detalhada do seu trabalho completo, relembre o que você escreveu para não passar apuros na banca.

Faça uma revisão geral do seu trabalho antes da banca.

Faça uma revisão geral do seu trabalho antes da banca.

4 – No dia da banca chegue com antecedência para poder preparar seu computador. Veja se está tudo ok com a apresentação de slides, porque, meu amigo, não há nada pior que tudo dar errado bem na hora da sua apresentação.

Chegue antes para testar os equipamentos e arquivos e assim evitar problemas na hora H.

Chegue antes para testar os equipamentos e arquivos e assim evitar problemas na hora H.

Continue Lendo

Coisas que eu não entendo: como andar de salto alto?

Standard

Um das minhas maiores dificuldades com festas chiques é ter que usar sapatos de salto alto. Por quê? Simplesmente porque não sei andar de salto. Os pés doem, não consigo manter o equilíbrio e fico parecendo um bêbado tentando andar (e olha que eu nem bebo, hein!).

Além do mais, para que ter que passar por toda essa tortura se no fim todas as pessoas de salto acabam tirando o sapato e andando descalças pelo salão de festas?

Pessoa chegando de salto alto no começo da festa

Pessoa chegando de salto alto na festa

Pessoa de salto alto alguns minutos depois de andar / dançar na festa

Pessoa de salto alto alguns minutos depois de andar / dançar na festa

Em crise pessoal: quando é que a gente vira gente grande?

Standard

Sempre quando alguém vinha me falar dessas tais crises de 20, 30 anos, ou até crise de meia idade, eu sempre achava tudo isso uma grande besteira. Até parece, só porque cheguei a uma determinada idade eu vou passar por uma crise? Até que eu percebi que, sim, existem mesmo essas crises. Inclusive, estou passando por uma nesse exato momento.

De vez em quando vem aquela sensação de que eu já deveria ter feito algo de importante na minha vida, que deveria ter realizado mais conquistas (não somente materiais)… Que já deveria estar preparada para enfrentar a vida sozinha, por conta própria. Fico imaginando: quando é que a gente se sente um adulto? Sim, porque quando eu era criança, imaginava que aos 25 anos já estaria com minha vida profissional e, quem sabe, pessoal resolvida! Até parece…

Como eu achava que seria quando tivesse 25 anos

Como eu achava que eu seria quando tivesse 25 anos

E como eu realmente sou aos 25 anos

E como eu realmente sou aos 25 anos

A verdade é que ainda moro com meus pais (e não me queixo disso não, apenas sinto que eles já fizeram tanto por mim que eu tenho a obrigação de ter minha independência financeira imediatamente!). Quando abri minha empresa achei que passaria a me sentir um pouco mais adulta e compreenderia melhor como é se virar sozinha, mas a verdade é que até hoje me atrapalho bastante com tudo nessa vida…

Um dia desses perguntei para a minha mãe quando é que ela finalmente se sentiu uma adulta. Eu imaginei que ela fosse responder que se viu como gente grande quando virou mãe, mas, para a minha surpresa, ela me disse que até hoje não se sente muito adulta. Aí eu fiquei um pouco desnorteada…Como assim, minha mãe não se sente adulta, gente?  Se nem ela se sente assim, quem dirá eu?

A resposta da minha mãe quando perguntei a ela quando é que uma pessoa vira gente grande

Minha reação quando minha mãe me disse que nem ela mesma se sente como uma adulta

Quando é que a gente vira gente grande?

Coisas que eu não entendo: as porções gigantescas de comida em restaurantes

Standard

Não me levem a mal, eu sou uma pessoa que aprecia uma boa comida, mas, francamente, por que raios as porções de comida tem que ser tão gigantescas nos restaurantes? Sério, já não consigo me lembrar da última vez em que consegui dar conta de comer um prato inteiro do que pedi no restaurante.

Quando peço um prato no restaurante e depois percebo que vem comida demais e que definitivamente não conseguirei comer tudo

Quando peço um prato no restaurante e depois percebo que vem comida demais e que definitivamente não conseguirei comer tudo

Em crise pessoal: falta de criatividade

Standard

Gente, falhei miseravelmente na minha missão de fazer posts regularmente aqui no blog. #chateada

Mas, vejam bem, estou numa crise de falta de criatividade. Antes tudo o que eu olhava me dava uma nova ideia para postar no blog. Nos últimos dias a minha criatividade está simplesmente… ahn… “hibernando”.

Quando estou tentando ter alguma ideia nova, mas a criatividade simplesmente não vem

Quando estou tentando ter alguma ideia nova, mas a criatividade simplesmente não vem

Vocês tem alguma dica para superar uma crise de falta de criatividade?

Em crise profissional: meu emprego não é o que eu imaginava

Standard

Nesses últimos dias tenho entrado numa verdadeira crise profissional, dessas clássicas, sabem? Daquelas em que a pessoa encontra-se totalmente desacreditada sobre a profissão que escolheu.

Não sei dizer com muita precisão sobre o momento em que toda essa crise começou… No início, quando tinha acabado de abrir meu próprio negócio em sociedade com minha amiga, estava super empolgada. A possibilidade de criar nossos trabalhos de maneira criativa sem nos prendermos a opiniões de chefes parecia bastante promissora!

Eu e minha sócia quando havíamos acabado de abrir nosso escritório

Eu e minha sócia quando havíamos acabado de abrir nosso escritório

Mas, como já era de se esperar, não foi nada fácil. Eu e minha sócia passamos a não ter mais que responder a patrões e chefes chatos com pouca imaginação, por outro lado, passamos a ter que responder aos clientes… E, bem, vamos dizer que o atendimento não é a parte favorita do meu trabalho. Basicamente, não sou muito boa em lidar com pessoas. Aos poucos as pequena decepções no trabalho foram se acumulando e a empolgação foi se acabando. Além disso, despesas como impostos altos, aluguel, condomínio, mensalidade do contador, conta de internet e telefone, tudo isso são coisas que vão pesando.

Como eu e minha sócia ficamos alguns anos após termos aberto nosso escritório: a empolgação foi se acabando

Como eu e minha sócia ficamos alguns anos após termos aberto nosso escritório: a empolgação foi se acabando e o desespero foi tomando conta

Confesso que no cenário atual estou pensando seriamente em mudar de profissão. Mas, sabe como é, bate aquele medo. Medo de se arrepender de mudar de profissão, medo de ter que começar tudo de novo, medo de tentar algo diferente e não dar certo, medo de desistir de algo em que investi muito tempo, energia e esforço.

(Obs.: Pensando assim percebi que o ato de mudar de carreira se parece muito com o que dizem sobre o ato de terminar relacionamentos: algo muito difícil e doloroso.)

Não sei se é apenas uma fase. Tenho notado que existe muita gente como eu que também está nesse tipo de crise profissional. E vocês, já passaram por algo assim?

Em crise pessoal: dar de cara com pessoas que você não quer encontrar

Standard

Uma das várias coisas em que não sou boa nessa vida é disfarçar quando não estou a fim de falar com alguém. Pior ainda quando eu dou de cara com alguém e tento fingir que não a vi…

Quando eu chego em algum lugar e dou de cara com alguém que não quer encontrar. O que eu faço? Dou meia volta e vou embora.

Quando eu chego em algum lugar e dou de cara com alguém que não quero encontrar. O que eu faço? Simples, dou meia volta e vou embora.

E quando simplesmente dar as costas e ir embora não é uma opção? Fácil, eu utilizo meus fones de ouvido da invisibilidade!

Quando eu finjo que estar com fones de ouvido me concedem o dom da invisibilidade

Quando eu finjo que estar com fones de ouvido me concedem o dom da invisibilidade.

Maaas, infelizmente nem sempre meu método dos fones de ouvido funcionam… E a única opção que resta é ficar olhando fixamente para o chão, evitando ao máximo contato visual com os outros.

Quando você não tem como se esconder e a última alternativa que resta é ficar olhando para o chão e evitando contato visual com a pessoa indesejada

Quando você não tem como se esconder e a última alternativa que resta é ficar olhando para o chão e evitando contato visual com a pessoa indesejada

Tem momentos em que o que eu gostaria mesmo é ter a habilidade de ficar invisível para não ter que falar com certas pessoas...

Tem momentos em que o que eu gostaria mesmo é ter a habilidade de ficar invisível para não ter que falar com certas pessoas…

E você, como se esquiva ao encontrar com pessoas que você simplesmente não quer ver?

Coisas que eu não entendo: como lidar com gente escandalosa?

Standard

Não sei se sou apenas eu, mas às vezes quando estou conversando com uma pessoa e repentinamente ela começa a falar ou rir alto demais eu não sei como reagir. Na verdade, eu normalmente me assusto com pessoas assim! (risos) Claro, depois que me acostumo com o jeito da pessoa já fico mais confortável e consigo agir com mais naturalidade e, dependendo do grau de amizade que faço com a pessoa, começo a rir e falar alto também…

Quando estou falando com alguém e a pessoa fala ou ri alto demais

Minha primeira impressão daquela pessoa que fala ou ri alto demais

Minha reação quando alguém fala ou ri alto demais

Minha reação quando conheço alguém que fala ou ri alto demais

Mas, no fim, se acabo fazendo amizade com a tal da "pessoa escandalosa", acabo

Mas, no fim, se acabo fazendo amizade com a tal da “pessoa escandalosa”, começo a falar e rir alto também quando estou com ela

 

Coisas que eu não entendo: ligações de telemarketing em horários inoportunos

Standard

Muita gente reclama quando recebe ligações de telemarketing. Muita gente acaba então sendo grosso e mal educado com os atendentes de telemarketing, mas normalmente eu não consigo tratá-los mal, porque sempre penso que, afinal, eles só estão fazendo o trabalho deles.

Acho que penso isso porque durante um tempo fiz estágio em uma empresa e minha função era ficar ligando para as pessoas oferecendo nossos serviços e prospectando clientes. Mas outro dia acabei perdendo a paciência. Estava eu em casa, depois de um dia longo de trabalho, sentada em frente a minha escrivaninha tentando estudar um pouco. Meu celular tocou. Num susto atendi a chamada. Poxa receber ligação de telemarketing às 10 horas da noite é demais, né?

Quando você atende o telefone e é algum atendente de telemarketing.

Quando você tenta se livrar de uma ligação indesejada de telemarketing de forma educada mas a pessoa do outro lado da linha não desiste de tentar te empurrar algum produto ou serviço: “- Por favor, pare.”