Em crise profissional: meu emprego não é o que eu imaginava

Padrão

Nesses últimos dias tenho entrado numa verdadeira crise profissional, dessas clássicas, sabem? Daquelas em que a pessoa encontra-se totalmente desacreditada sobre a profissão que escolheu.

Não sei dizer com muita precisão sobre o momento em que toda essa crise começou… No início, quando tinha acabado de abrir meu próprio negócio em sociedade com minha amiga, estava super empolgada. A possibilidade de criar nossos trabalhos de maneira criativa sem nos prendermos a opiniões de chefes parecia bastante promissora!

Eu e minha sócia quando havíamos acabado de abrir nosso escritório

Eu e minha sócia quando havíamos acabado de abrir nosso escritório

Mas, como já era de se esperar, não foi nada fácil. Eu e minha sócia passamos a não ter mais que responder a patrões e chefes chatos com pouca imaginação, por outro lado, passamos a ter que responder aos clientes… E, bem, vamos dizer que o atendimento não é a parte favorita do meu trabalho. Basicamente, não sou muito boa em lidar com pessoas. Aos poucos as pequena decepções no trabalho foram se acumulando e a empolgação foi se acabando. Além disso, despesas como impostos altos, aluguel, condomínio, mensalidade do contador, conta de internet e telefone, tudo isso são coisas que vão pesando.

Como eu e minha sócia ficamos alguns anos após termos aberto nosso escritório: a empolgação foi se acabando

Como eu e minha sócia ficamos alguns anos após termos aberto nosso escritório: a empolgação foi se acabando e o desespero foi tomando conta

Confesso que no cenário atual estou pensando seriamente em mudar de profissão. Mas, sabe como é, bate aquele medo. Medo de se arrepender de mudar de profissão, medo de ter que começar tudo de novo, medo de tentar algo diferente e não dar certo, medo de desistir de algo em que investi muito tempo, energia e esforço.

(Obs.: Pensando assim percebi que o ato de mudar de carreira se parece muito com o que dizem sobre o ato de terminar relacionamentos: algo muito difícil e doloroso.)

Não sei se é apenas uma fase. Tenho notado que existe muita gente como eu que também está nesse tipo de crise profissional. E vocês, já passaram por algo assim?

Em crise profissional: perder um bom profissional da equipe

Padrão

Ter uma equipe articulada, com bons profissionais que trabalham de maneira coesa, é um grande diferencial. O grande problema é que existem muitas equipes em que apenas alguns realmente se comprometem com o trabalho. Quando um desses membros dedicados e eficientes da equipe resolvem abandonar o time… Aí se instaura uma verdadeira crise! Ninguém sabe o que fazer, todos se desesperam.

Quando um membro da equipe de trabalho (aquele que sempre se dedica e dá o máximo de si) não aguenta mais ser explorado e resolve abandonar o barco

Quando um membro da equipe de trabalho (aquele que sempre se dedica e dá o máximo de si) não aguenta mais ser explorado e resolve abandonar o barco

Como o restante dos funcionários fica quando o membro mais dedicado da equipe arranja um emprego melhor: "-Não, não me deixe aqui para resolver os problemas!"

Como o restante dos funcionários ficam quando o membro mais dedicado da equipe arranja um emprego melhor: “-Não, não me deixe aqui para resolver os problemas!”

Lição número 1 do dia: nunca confiar todo o serviço para apenas um bom funcionário.

Lição número 2 do dia: valorizar os bons funcionários para mantê-los em sua equipe.

 

Em crise profissional: gente que finge que sabe fazer as coisas

Padrão

Uma coisa que tem me incomodado bastante nos últimos tempos são pessoas que pegam trabalhos para executar sem saber como fazê-los. Honestamente, para que fingir saber fazer algo que claramente não se sabe?

Quando alguém tenta fingir que sabe como fazer alguma coisa... Mas obviamente, não sabe.

Quando alguém tenta fingir que sabe como fazer alguma coisa… Mas, obviamente, não sabe.

E essas pessoas sempre acabam prejudicando o resto da equipe de trabalho. Sempre sobra para os outros repararem os estragos causados pelo serviço mal feito do fingidor. Francamente…

 

Em crise profissional: cumprir prazos (deadline)

Padrão

Quando se é um profissional, seja de qual área for, uma qualidade muito importante é a pontualidade e capacidade de cumprir prazos. Apesar disso, é raro encontrar pessoas que NUNCA tenham deixado algum trabalho ou projeto para a última hora. Oras, admito que eu mesma já fiz isso. Aqui estão os 4 estágios pelos quais passo quando me atraso com o cronograma de um projeto:

No início do projeto, quando parece que os prazos estão longe e parece estar tudo sob controle

No início do projeto, quando parece que os prazos estão longe, quando todas as tarefas a serem executadas parecem ser simples…Quando tudo parece estar sob controle.

Quando metade do prazo já passou e poucas coisas foram feitas

Quando metade do prazo estipulado já passou e poucas coisas foram feitas

Quando realmente o tempo está se acabando e bate aquele desespero. A sensação é a de que realmente não será possível cumprir com os prazos.

Quando realmente o tempo está se acabando e bate aquele desespero. A sensação é a de que realmente não será possível cumprir com os prazos. A vontade é de desistir de tudo, afinal, não vai dar certo mesmo.

Mas normalmente não se tem outra escolha além de correr para terminar o projeto a tempo. Assim, você reúne todas as suas forças e consegue finalizar tudo dentro do tempo esperado!

Mas normalmente não se tem outra escolha além de correr para terminar o projeto a tempo. Assim, você reúne todas as suas forças para conseguir fazer tudo “do dia para a noite”.

Em crise profissional: santa paciência

Padrão

Uma das qualidades mais requisitadas hoje em dia, creio eu, é a paciência. Sim, porque cada vez mais as pessoas parecem desafiar nossa paciência. Sabe quando você está focado, tentando resolver alguma coisa no trabalho ou tem que entregar aquele projeto urgente e vem alguém te encher a paciência? Pois é, e ainda por cima temos que manter a compostura e fazer cara de paisagem para não transparecer o mau humor.

Quando seu chefe ou cliente testam a sua paciência

Quando seu chefe ou cliente resolvem testar a sua paciência.

Em crise profissional: 5 coisas que você deve saber antes de alugar um imóvel para seu escritório

Padrão

Em 2009 fundei meu negócio próprio junto com minha sócia. Desde então, já passamos por três endereços diferentes. Ao longo de nossas mudanças de endereço, posso dizer que nos demos mal e quebramos a cara um punhado de vezes… Vou contar aqui algumas coisas que descobri e ninguém nunca havia me alertado sobre cuidados que se deve ter ao se alugar uma sala / imóvel.

Não vou entrar aqui em detalhes técnicos ou administrativos, como por exemplo, o fato de que você deve ter um fiador, ou a necessidade de apresentar sua certidão negativa ao locador do imóvel. Vou falar aqui de coisas… ahn… “menos técnicas” e “mais práticas”:

1- Quando você achar um espaço bacana e que pareça promissor, verifique primeiro o que funcionou anteriormente naquele espaço. Por que a pessoa que estava naquele endereço anteriormente saiu?

Quando você descobre tarde demais sobre algum problema no imóvel que você acabou de alugar

Quando você descobre tarde demais sobre algum problema no imóvel que você acabou de alugar

2- Se o imóvel que você deseja alugar for em um prédio, verifique o valor estimado do condomínio com os porteiros ou com outras pessoas que já são condôminos do prédio. Muitas vezes a imobiliária coloca no anúncio um preço de condomínio, no entanto, na realidade, o valor é bem maior.

Quando o valor do condomínio do prédio é muito maior do que você esperava

Quando o valor do condomínio do prédio é muito maior do que você esperava

Continue lendo

Em crise profissional: chefes ou clientes teimosos

Padrão

Se tem uma coisa que eu não entendo são pessoas teimosas. Quem nunca teve que lidar com chefes ou clientes teimosos no trabalho?

Sabe quando aparece seu chefe ou algum cliente tentando resolver um problema e você logo vê que daquele jeito não irá funcionar? Então, você, muito prestativo, tenta instruir a pessoa a tentar uma forma diferente de lidar com o problema… Mas, é claro, a pessoa não te escuta e continua tentando fazer a mesma coisa do mesmo jeito (que já tinha dado errado)…

Quando alguém está com um problema e insiste tem tentar resolvê-lo de uma maneira que obviamente não irá dar certo

Quando alguém está com um problema e insiste em tentar resolvê-lo de uma maneira que obviamente não irá dar certo

E você tenta ajudar a pessoa falando para ela tentar de outro jeito... Mas ela insiste em continuar cometendo o mesmo erro

Você tenta ajudar a pessoa teimosa falando para ela tentar de outro jeito… Mas ela insiste em continuar cometendo o mesmo erro e você desiste de tentar ajudar

Depois que a pessoa tenta pela centésima vez a mesma coisa e, novamente, vê que não deu certo, ela vem te procurar pedindo ajuda – mas a essas alturas, você já tinha desistido de ajudar a resolver o problema. Ainda assim, como trata-se de seu chefe (ou seu cliente), você tem que ser educado e atendê-lo da maneira amigável. Assim, você respira fundo e começa novamente a explicação daquilo que você acredita ser a solução ideal para o dado problema. Dessa vez, você pensa: “O bendito irá acatar minha sugestão! É um milagre! Até que enfim ele está me dando crédito e confiando na minha opinião!”

Maaaaas… Continue lendo

A crise da entrevista de estágio

Padrão

A situação toda começou quando eu estava no primeiro ano de faculdade.

Queria começar um estágio, mas como ainda estava no início do curso, era bem difícil conseguir sequer uma entrevista nos processos seletivos. A maior parte dos lugares em que deixei meu currículo afirmava que precisavam de estagiários com experiência prévia.
Gente, como é que uma pessoa que está procurando estágio vai ter experiência prévia? Eu pensava que estágio era justamente para ganhar experiência!

Continue lendo